Arrimar quer dizer
pôr em rima ou amparar.
Também pode ser bater,
Apoiar ou arrumar...

Singela homenagem aos Poetas Populares

sexta-feira, junho 24, 2005

A minhoca voadora

passarinho

A minhoca voadora

Certo dia a passear
o passarinho encontrou
uma minhoca a voar
coisa que muito estranhou.

Queria a minhoca comer
E sem muito se esforçar
Mas entretanto veio a ver
Que afinal estava a sonhar.

Acordou desesperado
E com a barriga vazia
Nunca ele tinha sonhado
Com tão grande porcaria

Quis voar e não conseguiu
pois tinha muita fominha
quando olhou e por ali viu
uma pequena formiguinha

Formiga formiguinha
disse ele - vou-te papar!
Mas a formiga espertinha
Também conseguiu escapar..

Ficou ele sem o jantar!

Mushu



Nunca deixes de tentar...

Pouca sorte, coitadinho.
Não as conseguiu papar.
Este pobre passarinho,
Tem que voltar a tentar...

Volta à carga, passarinho.
Elas hão-de lá caír...
Depois leva-as p'ro ninho
E não as deixes fugir...

Esta vida é complicada...
Até para um passarinho.
A minhoca, não deu em nada
E a formiga fugiu de finhinho...

Nunca deixes de tentar.
Seja formiga ou minhoca.
Porque tu tens é que papar...
Nem que seja uma foca...

Rimo

|

quinta-feira, junho 23, 2005

Desgarrada com a Ivone (Participação)

rosa amarela

Desgarrada

Gostava de ter o teu dom
O teu modo de falar
Sempre sem mudar de tom
E com a certeza no rimar

A rima não é o meu forte
A falar nem sempre acerto
Tento não perder o norte
Com a gramática por perto.

Ivone



Andas aqui perdida?
Como vieste aqui parar?
Sejas bem aparecida!
Aqui no Arrimar.

Isto não custa nada.
E que bem rimas tu...
És "maizuma" p'ra desgarrada.
Faz como a amiga Mushu...

A Mushu já cá rimou!
E tu faz como ela.
Se o fizeres até te dou,
Uma linda Rosa Amarela... ;-))

Rimo :-))


Obrigada pela rosa
É com gosto que a aceito
E amarela, que gostosa
E dada com tanto jeito.

Uma flor com amizade
Estragas-me com tanto mimo
Mais um amigo de verdade
Neste cantinho do Rimo

Como gosto de vocês
E das palavras que "postam"
Da amizade sem porquês
E do apoio que me mostram

Ivone

|

quarta-feira, junho 22, 2005

HOJE NÃO VOU ARRIMAR!

imaginação

HOJE NÃO VOU ARRIMAR!

É só para avisar,
Que hoje não vou escrever.
Estou farto de postar...
Portanto, escusam de ler...

Isto que estão a ver,
É pura ilusão!
Não sou eu a ecrever,
É tudo imaginação.

Como já tinha dito,
Hoje não escrevo nada!
Se fôr preciso eu repito.
E está a conversa acabada!

Não há nada p'ra ninguém.
Podem acreditar.
E se não ouviram bem,
Posso dizê-lo a gritar...

HOJE NÃO VOU ARRIMAR!
Nem um verso vou escrever.
Escusam de me rogar,
Porque eu não vou ceder...

Também escusam de comentar,
O que acabaram de ler.
São vocês a imaginar,
Que eu estive aqui a escrever...

Rimo

|

sábado, junho 18, 2005

Desgarradas (Participações)

dom perignon

Desgarradas

Ao apelo responderam,
A Mushu e o Jeremias.
Lindos versos escreveram...
Só me dão alegrias...

Rimo

Resposta da Mushu:

Isto é que foi velocidade
a escolher o novo som
foi só por teres piedade
ou seria pelo meu dom?

O nosso amigo Paredes
esse é que é cá dos nossos
Até o ouço sem redes
e até se me arrepiam os ossos

Grande música sim senhor
O Senhor Rimo arranjou
vou voltar, mesmo com calor
E se não rimar, não rimou...

Mushu


Não sei se foi p'lo teu dom...
Porque de dons não percebo.
Só se o Dom, fôr Perignon,
Esse sim, até o bebo...

Fico contente ao saber,
Que foi do teu agrado,
Fui rápido p'ra te atender,
Porque não me faço rogado.

Volta sempre, eu cá te espero.
Mas volta p'ra desgarrar.
É isso mesmo que eu quero,
É ver-te aqui a rimar... ;-))

Rimo


Resposta do Ivo Jeremias:

A Mushu tem razão
Devo confessar...
Apesar de desmiolada
Ela sabe do que está a falar.

Veloso é cru e seco
E cansa o ouvido.
Com Paredes tudo é belo,
tudo tem sentido.

Tenho sido desnaturado
e não venho comentar.
Peço mil perdões,
não sei como me penitenciar.

Fui dos primeiros ler-te
E até com rimas participei
Foi bom vir cá e rever-te.
Vou-me embora... mas Voltarei!

Ivo Jeremias


Ela é desmiolada.
Dizes tu, ó Jeremias.
Eu acho que é meio marada...
Mas mesmo assim... tem dias...

Eu gosto de gente assim.
Com bastante maradice.
Porque os certinhos, p'ra mim,
É que são uma chatice...

Já me pediste perdão,
Por seres desnaturado.
Também não havia razão...
Mas pronto, estás perdoado.

Volta sempre ao Arrimar,
Serás bem recebido.
Prometeste voltar...
E o prometido é devido...

Rimo

|

quinta-feira, junho 16, 2005

Agora levas com a guitarra...

paredes

Agora levas com a guitarra

A pedido da Mushu,
Já não está cá o Beloso.
Diz que gajo é muito cru
E um bocado dengoso.

O Maizum é que me disse,
Que ela não o queria aqui.
Que era uma grande chatice...
E eu, enfim, anuí...

Agora levas com a guitarra,
Do Paredes, a trinar.
Podes fazer como a cigarra,
E começar a cantar.

Mas eu aviso já!
Isto não são discos pedidos.
Porque quem manda cá,
Ainda são os meus ouvidos.

Esta eu deixo passar...
Mas já avisei o Maizum.
Não vou andar a mudar,
A pedido de qualquer um...

Rimo

|

quarta-feira, junho 15, 2005

Ai ai aiiii, é tão bom arrimar...

arrimar

Ai ai aiiii, é tão bom arrimar...

Eu continuo à espera,
De gente p'ra desgarrada.
E quem espera... desespera...
Eu já não digo "mainada"...

Ai ai aiiii, é tão bom arrimar...
E esta gente não arrima.
Eu arrimo em qualquer lugar,
Esteja por baixo ou por cima...

Não querem experimentar?
Não se vão arrepender.
Não custa nada arrimar,
Até dá muito prazer.

O que custa é começar,
Depois é sempre a abrir...
É mesmo bom, arrimar.
Experimentem, não estou a mentir.

Mas é melhor com companhia...
Porque sózinho, é chato.
Mas, como dizia a minha tia:
Quem não tem cão... caça com gato...

Rimo

|

segunda-feira, junho 13, 2005

Homenagem

Eugénio de Andrade

As palavras

São como um cristal,
as palavras.
Algumas, um punhal,
um incêndio.
Outras,
orvalho apenas.

Secretas vêm, cheias de memória.
Inseguras navegam:
barcos ou beijos,
as águas estremecem.

Desamparadas, inocentes,
leves.
Tecidas são de luz
e são a noite.
E mesmo pálidas
verdes paraísos lembram ainda.

Quem as escuta? Quem
as recolhe, assim,
cruéis, desfeitas,
nas suas conchas puras?

Eugénio de Andrade

|

Finalmente foi encontrada... (Participação)

Mushu

Finalmente foi encontrada...

Fico muito contente.
Finalmente foi encontrada,
Maizuma concorrente,
Aqui p'ra desgarrada.

E que bem que ela rima.
A menina Mushu.
E ainda por cima,
Tem um lindo... lindo... discurso

Rimo

A Mushu à desgarada:

Mas que verso tão bonito
E com gosto de arrimar
Olha, não trouxe o penico
Espera lá que o vou buscar!

Aguenta aí a bexiga
Que eu não demoro nada
vou cantar uma cantiga
E volto daqui a nada...

Fica por cá o meu cu
Embora com a calça Rota
Para não esquecer a Mushu
Que dizem ser uma marota.

Mushu

|

A Mushu ARRIMA bem

Mushu

Uma quadra da Mushu:

No dia de Santo António
Deixo aqui um Manjerico
Não vos deixo um Gin tónico
Porque vos faz ir ao penico


A Mushu ARRIMA bem

A Mushu ARRIMA bem,
Mas diz que não está inspirada.
Vamos ver se ela cá vem,
Aqui p'ra desgarrada...

Deixei-lhe este recado.
Na esperança de ela cá vir...
Vou esperar um bocado,
Mas depois... vou dormir...

Se te falta inspiração,
Vai ao blog ARRIMAR.
Tenho lá a solução,
Para quem quer versejar.

Leva o teu Manjerico,
E o Gin Tónico também.
Leva também o penico,
Pode dar jeito a alguém.

Rimo ;-))

|

quarta-feira, junho 08, 2005

Versos brancos

versos brancos

A Lima queria ajudar,
Mas não sabe como fazer.
Diz que não sabe rimar...
Começa mazé a escrever... ;-))

...que pena eu só fazer versos brancos! senão ajudava-te.
(responde a Lima ao meu apelo)

Versos brancos

Versos brancos, também gosto...
O que é que importa a cor?
E eu até aposto,
Que são escritos com amor...

Versos brancos, são bonitos
Se vierem do coração.
Ainda mais se forem escritos,
Escritos p'la tua mão.

E se me queres ajudar,
Podes começar agora.
Começa já a rimar,
Não esperes p'la demora.

Se tu tiveres vontade,
As rimas hão-de surgir.
Fá-lo por amizade,
Verás que vais conseguir...

Rimo

|

segunda-feira, junho 06, 2005

Arrimar à desgarrada...

quadra aleixo

Arrimar à desgarrada...

Isto, de escrever a rimar,
Pode ser muito engraçado.
Mas é se fôr a brincar
E não por ser obrigado.

Arrimar à desgarrada.
Isso seria à maneira.
Se houver gente interessada,
P'ra entrar na brincadeira.

Gostava de interagir,
De poder comunicar.
Por isso vos estou a pedir,
Que participem no Arrimar.

É uma coisa informal...
Sem qualquer pretensão.
Ninguém levará a mal,
Será pura diversão.

Quem é que quer participar?
Há aí gente interessada?
Só têm que comentar,
Com versos à desgarrada.

A base é o sentimento.
Dizia o poeta Aleixo
Numa forma de lamento,
Nestes versos que vos deixo:

Rimo

Meus versos são dos piores;
Não sou poeta distinto...
Mas talvez fossem melhores,
Se os lessem como eu os sinto.

António Aleixo

|

Referências

Blogshares


Share price history

Passaram por aqui. Obrigado pela visita